sexta-feira, 29 de julho de 2011

                                                                        "Algum Colo"( 0,70 X 1,00m)




AS VEZES DAS VEZES


Minha mente andarilha
Vez ou outra pede colo
Na âncora de algum ângulo.
Vez ou outra pede voz
Aos seres andróginos.
Por  muitas vezes meu corpo
Quis desvendar os toques
Por outras desejou apenas 
O toque de alguém .
Me multipliquei por tantas vezes
Nas palavras descascadas
Já provei outras tantas
As histórias mal contadas.
Me contei fazendo planos
Entre páginas viradas
Me virei pra tantos sonhos
Perfumando minha estrada.
Já senti tanta sede
De olhos com pingos d'água
Já senti tanta fome
De devorar as palavras.
De sugar a poesia 
Das tardes mal cantadas.
Sinto o tempo me comendo
Me distanciando dos meus pés
Sinto asas me cortando
Em feto, menina, velha, Mulher.
Cruzo e descruzo meu eu na soma
De ângulos que vibram
No rumo do silêncio
No grito do pulsar 
Entre línguas presas
No verbo Amar
Com suas  incertezas
Desmanchando meus nós
Entre espinhos e lençóis
Das brasas de minhas veias.


Alcinéia Marcucci






Decomposição ( Auto -Retrato 1,00 X 0,70)


6 comentários:

  1. Linda transparência de alma nas palavras ... linda abstração do corpo na tela magnífica !
    Cada vez que volto aqui, vejo que vc se superou, se melhorou na direção da perfeição; nos descrevendo nos traduzindo e nos extasiando.
    Saudade, amiga !
    Maria Angélica

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Maria Angélica por visitar este cantinho de minhas confissões e pelo carinho a mim dispensado! Cada olhar que sente minha arte, me fortalece neste caminho árduo e sem volta que criamos com nossa alma, corpo e coração!
    Grande abraço minha querida amiga!!!
    Muita luz em seu caminho!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Alcinéia por sua criação desenfreada! A tempos não via nem lia algo que me tocasse tanto. É comovente a forma como você lida e sempre lidou com a arte! Adorei seu blog!
    Paula Reys

    ResponderExcluir
  4. Fico muito grata Paula por você apreciar minha arte! Obrigada! Saber disto é animador, pois, persistir em exercitar a arte no meio desta sociedade capitalista não anda fácil. Valeu pelo carinho e muitas felicidades para ti e sua linda família!
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. sou outro que a cada vez que venho me surpreendo!!
    sua poesia é muito visseral, muito tocante mesmo!!

    e agora trabalhando novas tecnicas para representar estéticamente essa sua póetica feminina, sensual e por tanto tambem dolorosa...

    força!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada Jefferson! Lhe agradeço por apreciar meus desabafos! Ando tentando me desprender das técnicas acadêmicas de pintura e navegar nas manchas de tintas e nos traços simples. Vez ou outra é bom ancorar-se em novas possibilidades!!!!
    Grande abraço

    ResponderExcluir