quinta-feira, 21 de março de 2013



Filho,
Devagarinho entrou no meu ventre
Foi crescendo tão de repente
Criando um laço inalcançado  pelas mãos
Tão apertado aqui dentro do coração
Que eu sou você e você é eu.
Você é minha respiração
As cores com que nunca pintei
As formas com que nunca antes sonhei
Mas hoje se movem dentro de mim
Como que querendo dizer: "Estou aqui, dentro de ti
E mesmo do seu lado, no seu peito permanecerei."
Filho,
Meus sentimentos crescem contigo
Criam raízes nas minhas veias
Expandem meu espaço interior
Pois o meu coração de mãe aumentou
Para o  brilho dos seus olhos
Para o  calor do teu corpo
Que já pertencem a minha vida
E aquecem os meus dias
Para a cada amanhecer
Eu renascer mais forte
Para o amor superior
Mágico e intraduzível
De mãe e filho.

A primeira troca de olhares 
Não têm preço
Ouvir seu choro
Sentir seu cheiro
Ter-te em mãos
É uma união com Deus
Um momento único
Entre o sonho e a realidade
Surgiu a razão do meu viver
Surgiu você!

Alcinéia Marcucci